domingo, 21 de julho de 2013

Dicas de segurança


– Essa cidade anda muito violenta, cara...

– Demais, brother. A qualquer momento você pode morrer de bobeira, por motivo banal.

– Por isso que eu resolvi te dar essas dicas que vou passar agora. Vai por mim, eu entendo de segurança. Não tem erro.

– Certo.

– Em primeiro lugar, quando sair de casa, olhe bem ao redor. Pode ter alguém em qualquer canto, observando a sua rotina na espera do momento certo para atacar. Evite comentar a sua vida com vizinhos. Nunca se sabe o que se passa na cabeça deles. Evite colocar algo no bolso quando estiver na rua. Dá a impressão tem algo de valor. Guarde o celular numa parte que nunca está visível.

– Mas e se eu estiver só de camiseta e bermuda?

– Esconda no tênis.

– Mas e se eu estiver de chinelo?

– Ah, coloque na cueca. O importante é que não esteja à vista. E nunca, nunca atenda o celular na rua. Se puder deixe a campainha apenas no modo vibra, assim ninguém fica sabendo que você tem aparelho, certo? Nada de ouvir música, nem no transporte público. Se quiser ouvir música, ouça em casa.

– Ahn... Certo...

– Outra coisa: se levar dinheiro, guarde notas em várias partes do corpo. Assim não tem perigo de alguém bater a sua carteira e levar tudo. Se puder, leve também uma carteira falsa em um bolso estratégico. E não ande com pouquíssimo dinheiro. Tem gente que morre assim, o bandido se irrita com poucos reais.

– Entendi.

– Se alguém lhe parar na rua, não importa o motivo, não pare, não dê confiança.

– Ninguém? Nem se uma pessoa, por exemplo, bem vestida, cara de que não faz mal a ninguém, me perguntar apenas onde fica tal rua, ou as horas? Eu gosto de ajudar.

– Não, ninguém. Não viu outro dia uns engravatados assaltando o povo lá no Centro? Não fale com ninguém. Siga o seu caminho. E se alguém o parar, mesmo que for por segundos, olhe para os lados, ponha as mãos nos bolsos para dar a entender que está de olho em seus pertences.

– Mas e se for um amigo meu?

– Cumprimente de longe. Não parem em locais públicos para conversarem. Nessa, alguém podem estar de olho em você e com a distração, vocês dois serão as vítimas. Outra coisa: use roupas discretas. Nada de cores chamativas. Dependendo de onde passar, nem vá muito arrumado para não ostentar um status falso. Deixe para os compromissos profissionais. E mesmo assim, se não puder evitar, caminhe muito rápido para ser o menos visto possível.

– Tá...

– Grude a mochila no corpo. Ande com ela na frente, se puder. Nunca a use nas costas ou de lado. Um criminoso conhece vários golpes para arrancá-la facilmente de você. E guarde coisas de valor nos bolsos mais fundos. Se puder amarre os zíperes com algo que dificulte a sua abertura.

– Mas, até pra mim ficaria difícil depois abrir e fechar...

– Melhor ferrar com a sua mão do que perder tudo de uma hora para outra, não?

– É... Verdade...

– Na balada, vá com muitos amigos. E só puxe conversa com quem você sente confiança. Não beba nada que te oferecerem. Pode ser o golpe do “boa noite, Cinderela”. Aliás, falando em diversão, esqueça essa coisa de sentar em algum banco de praça para relaxar, ler um livro, ver a vida, descansar. É dar sorte para o azar. Hoje em dia esses espaços públicos só são utilizados por viciados em crack e trombadinhas. Nós temos as nossas casas para isso. Tem muito assalto acontecendo em parque também. Mesmo assim se for neles, coloque seus pertences colados ao seu corpo e nunca deixe de olhar para os lados.

– Entendi.

–Ah, e se alguém bater no seu portão atenda à distância. Nunca permita que entrem em sua casa. Se for alguma visita, abra o portão mas sempre de olho nos arredores. Essa pode ser a oportunidade para invadirem a sua residência. Tenha o telefone sempre perto caso ouça algum barulho estranho em seu quintal. 

– Sei lá, acho isso tudo meio paranoia... Parece um cão com as orelhas sempre em pé...

– Nada disso. É melhor prevenir do que remediar. Você sabia que a maioria dos furtos acontece por causa da distração da pessoa? Quantas vezes eu e você já vimos gente com a carteira quase caindo do bolso? Ou mexendo tranquilamente num chamativo iPhone em locais com muito movimento? Não adianta, não podemos relaxar. Tudo que temos foi pago com o nosso suor, enquanto pra esse povo que nos rouba, nem a nossa vida vale. Aprenda isso, amigo, são os tempos atuais. Vivemos em uma selva. Temos que nos proteger o tempo todo. Sempre terá alguém à espreita para te roubar alguma coisa, te fazer algum mal. Ninguém liga para os prejuízos do próximo.  

– É, talvez... Mas sei lá. Fale a verdade, mesmo com todos esses cuidados, você realmente acha que vou VIVER mais seguro?

– Bem... Depende. Se você tiver no lugar errado e na hora errada e levar uma bala perdida... Não viu no Datena aquele caso do rapaz dormindo na cama, num sobrado, que levou um tiro?

– Sim... O papo está bom, mas preciso ir. Pode deixar que eu pago a conta.

– Obrigado. Faz bem em ir embora agora. Tá tendo muito arrastão em restaurante e barzinhos nessa hora. Mas tome cuidado no caminho pra casa também. Aumentaram os latrocínios... E quando abrir a carteira, faça-o sempre de costas para a rua. Aquele pessoal sentado ali, no bar do outro lado da rua, pode estar de olho no que você tem de valor.

– Eh... Ok. Obrigado pelas dicas. Me sinto mais tranquilo, eu acho...

– E tem mais...

– Amigo, desculpe te interromper mas eu preciso te dizer uma coisa..

– O que?

– Você tá muito abatido...

– É que eu ando tendo insônia. Também, ando muito estressado. Não consigo relaxar. Faz muito tempo que eu não vinha em barzinho. Acho que não vou durar muito.

A risada quis demonstrar que isso tinha sido uma piada, mas o outro amigo não riu. Do jeito que ele ia, podia ser verdade...


Danilo Moreira

Gostou do blog? Então, não o perca de vista. Assine o feed, adicione nos seus favoritos ou seja um seguidor. Obrigado pela visita ao Ponto Três.

FOTO: http://br.freepik.com/


2 comentários:

Nina disse...

Recentemente, fui assaltada. Uma paranoia bateu em mim. Como tive essa infelicidade à noite, voltando do trabalho, agora tenho um medo danado de sair de casa quando o sol vai embora.
Tenho tomado algumas medidas de segurança, como as que você citou no texto. Dinheiro no tênis, documentos, celular e tudo o mais numa bolsa em volta da cintura. Todo cuidado é pouco. Nos primeiros dias, até um estilete eu levava na bolsa, imagine só.
Bom, é isso. Abraços!

Marília T. disse...

Fui assaltada um mês atrás e me levaram todos os documentos, o dinheiro, cartão, hj num levo quase nada na carteira, pouco dinheiro e nem uso mais cartão. Fiquei mal pra caramba, me senti vulnerável diante a vida, me deu um baita chacoalhão. Em segundos você pode estar morto. Foda, é preciso ter olhos nas costas.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...