domingo, 2 de agosto de 2009

Nove e Meia - Parte I

História com duas partes

Rafaela olhou em seu relógio. Eram 20:54. Chegou cedo. Sorte que aquela praça era bem iluminada. Poderia ficar ali esperando sem receio. Após soltar um suspiro, sentou em um banco, e passou a observar o movimento.

Os minutos iam se passando e Rafaela viu em seu relógio que já eram 21:00. Ainda faltava um bom tempo. Teria que ter muita criatividade para esperar tanto...

Mas, o barulho de passos a fez desviar a sua atenção.

Caminhando tranqüilamente, Marcelo seguia para o ponto em que marcou seu encontro: o banco que ficava ao lado de um poste. Era o banco que Rafaela estava sentada. Vendo que o rapaz vinha na sua direção, a moça sentiu-se apreensiva. O que aquele homem queria com ela? Mas, Marcelo apenas fez um olá com a cabeça, e permaneceu de pé ao lado do poste. Preferiu não sentar, percebendo a apreensão da menina. Rafaela então, percebeu que o rapaz também estava esperando uma pessoa. E ambos ficaram como estavam; ela, sentada e olhando para o nada; e ele, olhando para as árvores, revezando com as olhadas no relógio. Também havia chegado cedo.

Silêncio. Como numa sala de espera de consultório, Rafaela cruzou as pernas, e começou a roer as unhas. Marcelo, com as mãos nos bolsos da jaqueta, começou a assobiar, ainda olhando o relógio do seu celular minuto a minuto.

Rafaela então, olhou para Marcelo:

- Moço, não quer sentar?

- Não não. Obrigado.

- Pelo que eu percebi você vai ficar muito tempo aí esperando em pé. Vai se cansar.

- Não vou não... eu acho...rs... Mas pode ficar.

- Senta. Tem espaço de sobra aqui no banco.

Marcelo olhou para a menina. Com um olhar simpático, ela pedia para que ele se sentasse. Ele não resistiu. Mostrou um sorriso envergonhado admitindo que ela havia vencido, e sentou-se ao seu lado, ainda que na outra ponta do banco.

- Obrigado.

- Imagina...

Outra vez, o silêncio. Minutos longos eram aqueles. Ambos olhavam para seus relógios. Cruzavam e descruzavam as pernas. Olhavam para o chão. Olhavam para as árvores. Olhavam para o movimento. Olhavam para o outro repetindo os mesmos gestos.

- Esperando a namorada?

Marcelo virou-se para ela, como se despertasse de uma espécie de transe.

- Eh... sim. Marquei com ela de se encontrar aqui às 21:30. Só que eu cheguei cedo demais...hehe... E você? Esperando o seu namorado?

- Sim, sim. Coincidência ou não, também foi marcado aqui e no mesmo horário.

- Caramba! Que coincidência, não?

- Põe coincidência nisso!

Ambos riram juntos.

- Namoram há muito tempo? – perguntou Marcelo.

- Sim, há quase dois anos. Nos conhecemos num barzinho perto da Paulista. No começo foi meio complicado porque a minha família não aceitava muito o namoro. Não gostavam dele...

- Eu sei... Também já passei por isso. Os pais da minha namorada também não me aceitavam. Ela quase foi expulsa de casa quando descobriram. A gente namora há cerca de um ano.

- Bacana. Onde você a conheceu?

- Foi numa balada na Vila Olímpia. Foi tão estranho no começo, no primeiro dia que a vi senti muita atração por ela, mas foi algo assim quase que instintivo, sabe? Nem eu imaginava que as coisas aconteceriam tão rápido como foi. No começo foi difícil aceitarem o nosso namoro.

- Nossa, mas por quê?

- Sei lá. Acho que é porque as pessoas não gostam de ver a felicidade do outros. Ou a querem ver do seu jeito...

- Sei bem o que quer dizer...

continua no próximo post...


Gostou do blog? Então, não o perca de vista. Adicione nos seus favoritos, assine o feed ou seja um seguidor. O Ponto Três agradece a sua visita!


FOTO:
http://media.photobucket.com/image/Banco%20da%20pra%2525C3%2525A7a%20noite/thgteixeira/SBC%20-%20Noturnas%20Centro/21.jpg

8 comentários:

Rodrigo Yoshizumi disse...

e aí Danilo!!
cara, muita coincidência nessa sua história, hein?! hahaha
espero pela parte 2...

boa semana pra vc!
abraaço

Raquel Freire disse...

Oii Danilo, tudo bem?
Eh, eu acho que sim! rsrs
Eu adorei o seu blog mesmo, é muito criativo e tem muitas variedades... Você escreve muito bem!!!
Fiquei curiosa para saber o restante da história, até imagino...
Bjinhosss, até semana que vem.

Ana Lucia Nicolau disse...

li tudo, nãoentendi se o continua daria um link (pq não deu) entendi que a crônica terá continução futura em outra postagem...essa primeira parte gostei muito...vários namoros começam assim, de situações casuais...

Mário Sérgio disse...

Gostei dessa historia.
Você já pensou na parte 2, ou ainda está escrevendo. Se não estiver pronta, dá até pra fazer um revival do "Você decide" com os leitores.

Diego Janjão disse...

e que venha a parte 2!

mew, historias grandes assim são dificeic de alguem qrer continuar lendo...

mas a sua foi muito boa!

kikinhah disse...

Vou chutar q esse conto acaba num lindo final feliz, uhauhauhauha
Muito show, quero ver o próximo post.
BjOs^^

JuANiTo disse...

Muito interessante o inicio deste conto!
Mas a menina é saídinha demais...
Se eu visse namorada minha oferecendo lugar pra marmanjo que nunca viu na vida antes... ela vai ouvir muito!
aehueaijeaiejie
Abraço!

Marcelo A. disse...

Só agora li a primeira parte... Muito bom! Merece continuação mesmo... Igual eu fiz lá no "Diz"!

Rsrsrsrsrs!!!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...