segunda-feira, 23 de fevereiro de 2009

Erraram o alvo?


A promotoria da Suíça publicou, no dia 19, um comunicado onde a brasileira Paula Oliveira, que teria sido supostamente atacada por neonazistas numa estação de trem perto de Zurique, e ainda, perdido gêmeos na hora, na verdade teria mentido à policia sobre a história. A noticia completa está aqui.

A questão é, a notícia do ataque foi veiculada à exaustão (só não foi mais por estarmos em período de carnaval e BBB), e contou com o apoio do governo brasileiro à moça. Blogs, sites de notícias e outros veículos de comunicação foram bombardeados por comentários, na sua maioria, hostilizando as autoridades suíças e os europeus, em geral, bem como o tratamento dado aos brasileiros e outros imigrantes.

Mas, durante esse tempo todo, a tal vítima da vez esteve incomunicável, e o fato dos ataques nunca fora realmente comprovado. Também acusaram as autoridades suíças de fazer pouco caso, ou de querer abafar o ocorrido.

Mas, como se vê, agora os fatos mudaram. Com certeza, a brasileira agora será hostilizada, chamada de oportunista, já que na legislação suíça, ataques desse tipo geram gordas indenizações para as vítimas.

Mas, essa notícia nos trás uma lição: o velho problema de julgar sem ter provas.

É claro que muitos ao publicarem notícias como esta estão apenas preocupados em promoção de imagem e audiência, por isso, cabe a quem ler tirar as suas próprias conclusões, mas em casos assim onde se ainda estão desenrolando fatos, o melhor é ter mais consciência das suas palavras. Isso também vale para quem as publica.

Julgar sem conhecer, torna um sábio tão infantil quanto uma criança de dois anos, e com risco de constrangimento, pois uma hora a verdade poderá aparecer bruscamente, como um soco na cara.

A moça realmente é a culpada? Ou a vítima?

Isso ainda vai dar pano pra manga...

Danilo Moreira


FOTO: http://xgoogle.com.br/blog/wp-content/aaaaa.jpg

10 comentários:

Rodrigo Yoshizumi disse...

Fala, Danilo!

sabe que eu até ia escrever sobre isso no meu blog? exatamente sobre esse caso e exatamente sobre a mídia!

p/ ser sincero, eu já tenho uma opinião formada sobre esse caso... a brasileira já deu vários "foras", o que pode ser uma prova de que ela realmente está mentindo. Coisas como: ela não estava grávida, o pai disse que ela é "doente mental", e ainda tem as evidências apontadas pelo governo suiço (sobre os cortes).

mas como vc disse... "Isso ainda vai dar pano pra manga..." e só posso dizer que nós, brasileiros, estamos praticamente pagando um mico!!! (vc chegou a ler uma nota da imprensa suiça, falando sobre o governo e a mídia brasileiros? >.<)

abraçoo!

Wander Veroni disse...

Oi, Danilo!

Este caso da advogada brasileira na Suíça me ensinou uma coisa: a apuração e a investigação jornalística é tudo.

Não culpo a imprensa por ter defendido o caso, pq os órgãos oficiais de lá fizerem de tudo e mais um pouco para abafar o caso. E o jornalismo vive da repercussão das autoridades - e da arte de desconfiar.

Querendo ou não, tanto por ser verdade ou mentira o que ela falou choca: uma grávida nordestina brasileira que sofreu um ataque na Europa; uma brasileira que conta uma mentira e põe em cheque a relação diplomática entre dois países.

Trabalhar com a notícia diretamente faz a gente ver que não é um lado só que erra, mas os dois: tanto as autoridades, quanto a imprensa. Não cabe desculpas de nenhuma das partes, pois estávamos lidando com uma pessoa doente que merece tratamento, no mínimo.

Parabéns pela análise.


Abraço

disse...

A moça não é culpada, nem vitima.é maluca.
Pelo amor de Deus...
Estão falando em Lupus. Não entendo muito bem o que é, mas deve mexer com seu sistema nervoso. Louca!!!
O Brasil já tem uma fama danada. Agora mais essa.

Lion of Zion disse...

NOrmalmente o brasileiro se sente muito vítima ou o pobre coitado do terceiro mundo oprimido por países mais desenvolvidos e talvez por isso a comoção foi grande e o caso repercutiu de uma maneira acalorada.

Só que o brasileiro esquece que no quintal dele existem agressões diárias do seu próprio governo, imprensa e outros meios.

Antes contudo, devemos sim tentar cobrar uma imprensa de melhor qualidade ao invés de entrar na onda do probre coitado.

J. C. David disse...

é um fato muito estranho, que mostra que devemos ver os dois lados antes de criticar..

Mariana disse...

Publicaram agora que foi ela mesma quem se machucou....

Agora a discussão sobre culpada X inocente vai longe...´Porque tudo que envolve uma questao de julgamento moral, as coisas vao longe!!!!

Mariana disse...

Acho que essa discussão entre vitimas e culpadas vai esbarrar nos valores que temos...

e discutir valores chega a ser explosivo....

Depende do ponto de vista....

Beijos

Marton Olympio disse...

Fala cara.
Beleza?
Bom blog, bem escrito, só que...
Você não acha que quando diz "a tal vítima" já não está dando sua opinião, fazendo juízo de valor e caindo no mesmo erro da imprensa em geral: ou seja, condenando ou absolvendo?

De resto, é isso.
Abs!

e se quiser, apareça.

http://martonolympio.blogspot.com/

Danilo Moreira disse...

Olá Marton, primeiramente obrigado pela visita.

No texto, qdo citei "a tal vítima", quis na verdade citar a pessoa em questão tal como era visto na época das noticias, ou veja, vista como a vítima. Devo ter me expressado mal.

Obrigado pela observação.

Moniquetudybom disse...

Realmente! Acho que a verdade completa nunca chegará a nós.Então me isento de emitir uma opnião sobre o caratér dela.
*******
obrigada pelo comentário no blog.
http://protestosdeclareamor.blogspot.com/

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...