domingo, 31 de outubro de 2010

O último da sala...


Já teve aquela sensação de estar parado no tempo? Aquela sensação ruim de ficar para trás? Aquele sentimento incômodo de quando se fica por último numa sala?

Certo dia, olhei uma pasta com fotos do trabalho, com cerca de um ano atrás. Me espantei com a quantidade de pessoas que não estavam mais lá. E eu, mesmo querendo sair, ainda continuava, sem qualquer expectativa concreta para sair.

Já senti algo parecido há alguns anos. Quando me formei do ensino médio, via as pessoas já trabalhando, e eu ainda desempregado, até que finalmente arrumei emprego. E agora, quero sair do meu atual emprego, mas por enquanto, ainda continuo nele. E do meu grupo, dos antigos, sou o único que ainda continua. A última pessoa, dentro do meu setor, que tinha mais tempo do que eu, saiu ontem, felizmente, para outro emprego, na área em que ela se formou. Agora, resta apenas eu.

Não sou mais criança, sei que esse processo é natural da nossa vida. Sei que existem pessoas ativas e acomodadas, e estas últimas, muitas vezes nem reparam que o são. Eu mesmo até pouco tempo, estava nesse meio. Sei que estamos o tempo todo mudando, e muitos o tempo todo querendo mudar. Difícil é quando essa busca parece longe, e vemos muitos de nossos companheiros a conseguindo, e nós, ficando para trás. Se sentindo até mesmo como resto. Entra aí o sentimento dúbio: felizes pela pessoa, e tristes por nós ainda não termos conseguido. Fica-se aquele vazio, e ao olhar essas fotos com todos então, aí é que você realmente se sente mal.

Por isso que o importante é botarmos em nossa consciência essa noção da mudança constante, que nada é para sempre, nem nós mesmos, nem nossos grupos sociais. Isso vale para qualquer lugar, na família, na escola, na faculdade, no trabalho. Em segundo, que precisamos sempre buscar os nossos objetivos, não se acomodar com o que tem, não deixar que o apego àquele grupo social o faça desistir dos seus próprios sonhos. É o que eu chamo do bom individualismo, aquele onde você prioriza os seus sonhos. Fora que, pessoas queridas são pessoas queridas. Quem te ama, te adora, te considera muito, sempre irá te acompanhar, não importa onde você esteja, mesmo que à distância. Obviamente, não será da mesma forma. O cenário não será o mesmo. Mas, ainda sim, estará lá, querendo saber de você, comemorando junto as suas conquistas, e vice-versa.

Agora, quanto ao fato do caminho, é como uma pessoa muito amiga minha me disse, quando nos encontramos ontem, “se não conseguiu agora, é porque não é a sua hora, espera que esse dia vai chegar”.

E até lá, continuarei no mesmo lugar, sentindo-me numa sala onde todos já foram embora, menos eu. Continuarei tentando engolir essa bebida amarga, mesmo me vendo sozinho em vários espelhos, revolto por vários quadros antigos.

E a vida continua... com a esperança de quem ainda irá buscar muito, para além daquela sala infértil, mesmo sendo o último a fechar a porta...

Danilo Moreira

Gostou do blog? Então, não o perca de vista. Assine o feed, adicione nos seus favoritos ou seja um seguidor. Obrigado pela visita ao Ponto Três!

FOTO: http://margensdapoesia.blogspot.com/2009/01/o-vazio.html

3 comentários:

NandeX disse...

Grande Danilo! Beleza? Espero que sim! Incrível, como sempre! Adorei o post e achei muito interessante como ele, a partir de um tema central, de forma direta e objetiva sutilmente se desdobra em vias de elementos conturbados da sociedade humana, e nos faz pensar e refletir sobre estes temas. As dialéticas dos referenciais aos quais nos dirigimos, dependendo do posicionamento gera a alegria ou a tristeza, cada sensação direcionada a um ponto. A efemeridade da vida onde, o tempo é tão complexo que um segundo dito, vivido, feito no presente já se torna imediatamente passado. O que acabei de digitar já está nas páginas passadas e assim foi tornando-se a medida em que saíam as idéias de minha mente. Mais uma vez isso comprova a teoria que tanto defendo do “tudo é relativo, nada é absoluto”. Imagino como é essa sensação que sente mas, como sempre te digo, você é show, super inteligente e competente, conseguirá os objetivos. Acredito que problemas não existem nessa vida, são sempre oportunidades e, quanto maiores forem, mais sorte você teve, pois terá chances de crescer mais que os outros. Já passei por momentos e sensações assim, na época em que não conseguia bolsa nas faculdades, mas você nem acredita como isso foi bom! Tudo que ocorreu em minha vida desde então seguiu um trajeto que fez de minha situação atual a perfeita PARA AQUELE momento, de outra forma seria até complicado, se eu tivesse conseguido o que queria na época em que queria. Depois, as coisas melhoraram, a vida mudou, e aí sim consegui, e na melhor época. Não acredito que somos presos a um destino, acredito que construímos nosso caminho, mas não nego que algo sempre surgirá na época certa. Parabéns novamente, grande abraço!

NandeX

Marcelo A. disse...

Puxa, Danilo, você, ultimamente, tem falado muito fundo! Sério mesmo! E olha que eu sou mais velho que você, ou seja, teoricamente deveria estar encaminhado. E até estou! Já fiz duas faculdades, me formei, tenho um emprego fixo, servidor público... mas sinceramente? Não me sinto feliz, realizado, sei lá qual é a palavra adequada. É uma droga mesmo, mas é exatamente assim que me sinto. Mudança é bom? É, mas me amedronta. Quem me dera ter a chance de recomeçar num lugar diferente, numa outra cidade... Acho que seria uma ótima oportunidade de lidar com esses momentos da vida. E o que mais assusta é mesmo essa sensação de ser o último a apagar a luz...

Quer saber? Um dia, eu largo toda essa porra e ainda viro hippie... Hehehehe!

Abração, velhinho! Apareça!

;)

Jéssica disse...

Dan...
tudo acontece quando tem q acontecer!
Na vida ás vezes temos q passar por maus bocados para encontrar e viver as coisas da vida!!
Maninho,vc sabe q pode contar comigo sempre!!
Fique tranquilo pq vc não vai continuar no "caos"(se é q vc me entende rs)
Jéssica

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...